Periscópio

Victor Currales


A quem interessa derrubar o Brasil?

Publicado em : 20/3/2017



Sobres os fatos recentes da política da Nova República, tenho a convicção de que há duas grandes conspirações de interesses com orquestração política contra a nação das brasileiras e brasileiros, cujo tema podemos nos debruçar diante de várias tendências que culminaram com o impeachment da Presidente Dilma.

 

Se olharmos mesmo com prudência, o interesse internacional sobre a desestabilização do país, poderemos notar claramente através dos noticiários que sempre que algum fato movimenta o contexto político no eixo do poder, entra em cena o grande inimigo oculto com a famigerada Lei da Cooperação Internacional e abala nossas principais empresas que se tornaram competitivas mundo afora.

 

Então pergunto a serviço de quem os interesses econômicos, que com ajuda da mídia, vem potencializando a intolerâncias da opinião pública, e a qualquer denúncia mesmo que vazia, dá voz e espaço para as teorias conspiratórias, transformando a população em uma grande massa tangida por organizações de comunicação ou pelo discurso inflamado de alguma liderança política universalizando assim a intolerância entre nós. Não defendo aqui bandidos, corruptos, partidos ou convicções religiosas, porém creio que há muito mais do que as falácias e o estimulo ao ódio e a desmoralização nacional.    

 

Sabemos que atualmente nos grandes modelos de democracia existe um tripé de sistemas que sustenta e dá equilíbrio à estrutura do país que são o social, o político e o Econômico, além da relação harmônica e independente os setores Executivo, Legislativo, Judiciário e a Mídia.

 

Se analisarmos a grave crise econômica mundial em 2008, trazendo-nos o medo de perdermos o status social diante mundo e a oportunidade sermos considerados a 5ª economia mais forte do planeta vimos então desmoronar gradualmente empresas de porte como a Odebrecht, Petrobrás e agora no mais recente escândalo econômico a JBS, empresas que outrora nos enchia de orgulho e admiração onde além de nossas embaixadas no exterior patrioticamente eram fincadas nossa Bandeira Nacional. A quem interessa o desabamento do Brasil? Além da busca de um bode expiatório para esconder sofisticados movimentos financeiros em paraísos fiscais e jogadas de grandes grupos empresariais?

 

Já a crise política, tem sido regida pelo poder econômico com a imoralidade dos financiamentos de campanhas aproximando-se perigosamente do poder em todos os níveis federativos com influência cada vez mais nociva auxiliado por engenhosas peças corruptivas que avançam até mesmo sobre as mais confiáveis corte e serviços judiciários do país para garantir o continuísmo do poder e sob a tutela dos escusos interesses nacionais vem garantiam impunidade ou banalização aos crimes praticados contra a população que só tem o direito da manifestação livre somente no dia da eleição.

 

Causa espanto e incredulidade que todas essas forças tarefa visam apenas criar um cenário apocalíptico para que então surja os cavaleiros do apocalipse e voluntariamente criem uma mediação e controle da opinião sem exercitar a violência onde oposição e governo montem uma verdadeira política sem a utilização da justiça com as próprias mãos, pois por tudo que já vimos a Operação Lava Jato e toda sua estrutura que tem ao centro o Juiz Sergio Moro não conseguem se libertar do passado político partidário que pode comprometer de certa forma a lisura das conclusões dessas midiáticas operações.

 

É evidente que a somatória dessa conjuntura foi se consolidando com o tempo, mas é preciso salientar que os governos de Luiz Inácio Lula da silva, fez parte de um grande pacto social e a partir daí se fortaleceram possibilidades importantes do Brasil se consolidar como um polo de poder na América Latina. E foi aí que as coisas começaram a se tornar um incômodo.

 

O grande temor da população é que haja um desmonte dos serviços públicos, que sejam retirados dos trabalhadores suas conquistas ao longo do tempo sejam potencializadas como mercadorias e não como direitos, como a reforma previdenciária proposta. Daí a pergunte que dá nome ao título do texto. A quem interessa derrubar o Brasil?

 

 

Victor Currales – DRT/MS 1320

  

Síndrome da carência afetiva...

Publicado em : 29/11/2016



Nunca gostei de escrever, trabalhar ou associar meu apoio a atos ou projetos político/social que levasse alguém ao constrangimento calcados em mentiras ou calúnias.

Faço esta observação diante da enxurrada de ofensas, provocações e calúnias de um pequeno grupo de pessoas desprovidos de sentimentos afetivos que ainda não entenderam que tudo tem começo meio e fim.

Passados cerca de sessenta dias das eleições municipais e o que temos visto em Rio Verde de Mato Grosso-MS, é que de um lado o da vitória, o atual prefeito e agora reeleito continua a trabalhar pelo bem estar da população buscando recursos e investimentos em áreas essências como a saúde com mais duas ambulâncias e três academias ao ar livre que serão instaladas na cidade, além de uma ponte de concreto recentemente anunciada num evento na governadoria, e tudo isso após as eleições.

Porém do outro lado capitaneado por um “Guerreiro”, uma desafinada orquestra entoa ópera de uma nota só, todos os dias, semanas nas redes sociais atacando, desacatando e até espalhando falsas notícias de uma maneira que beira a insanidade coletiva.

Se esquecem os carentes afetivos que tudo tem limite e que dentre a maioria que preferiram a reeleição do atual prefeito, existem pessoas dos mais variados perfis, crenças e matizes que já não suporta mais ver o triste teatro que se arma a cada fato novo na cidade.

A sociedade com certeza irá se manifestar contra esses ataques gratuito contra a figura pessoal e institucional do representante oficial do município outorgado pelo povo que se lhe imputam as mais condenável frases e crimes que supostamente tenha praticado, esquecendo-se os anunciadores do apocalipse que a justiça por estar vendada significa que é imparcial e não cega.

O falso testemunho é crime previsto no Art. 342 do CP, além do mais, contratação de menores como cabo eleitoral, ultrapassar limites permitidos em lei nos gastos de campanha e  armar situações utilizando-se do grau de parentesco entre si, além de crime causam danos a administração da justiça, o bom senso deveria levar também alguns blogs especializados em "notícias falsas", que tem gastado tempo e energia provocando raiva e descontentamento ao teclarem ofensas e falsas notícias sem comprovação da fonte endereçadas ao atual prefeito nas redes sociais a uma nova postura, por enquanto a fala é totalmente enganosa e induzida.

Na tentativa de desestabilizar o sistema político, social e jurídico do município, colocam-se no revés da história e do tempo pois todos esperamos muito mais dos novos e jovens agentes políticos do que “notícias imaginárias”, crendo que a sociedade tomará como verdade algo completamente falso, criado pela mente doentia de alguns que formam uma pequena massa de manobra e estão pagando um mico inacreditável.

Fica então o questionamento, o que leva um ser humano a utilizar o seu tempo de trabalho ou de ociosidade descer ao lamaçal da calúnia e da difamação?

Apenas isso, já mereceria um profundo estudo psicológico ou uma boa explicação nos tribunais. Porém lamentavelmente estão querendo dividir a cidade pelo ódio, uma pena que a história da vida pública de um homem que sempre disse ter lutado pelo melhor a sua cidade tem agora nos últimos tempos visto sua biografia sendo jogada numa vala comum.

Após duas derrotas eleitorais consecutivas em que se transformou em refém da ganância de terceiros e do próprio grupo nem de longe lembra o “Guerreiro” como se intitulou no passado por suas conquistas eleitorais.

Tal como acontece frequentemente nestes tempos de internet, essas “piadas” se espalham como “notícia” de maneira impressionante por todas as redes sociais, gerando comentários tão desagradáveis e absurdos que temos a impressão que todo mundo que não pertencem ao grupo oposicionista se transformaram em bandidos de uma hora para outra.

Pessoalmente por tudo que tenho lido e visto, que vão de desde covardes agressões publicadas nas redes sociais, depoimentos, gravações e conversas em grupos de relacionamentos, questionamentos indiretos a pessoas e profissionais que simpatizam ou prestam serviços ao outro grupo político é assustador.

Mas com o ensinamento de Voltaire podemos afirmar que “Não estou de acordo com o que você diz, mas lutarei até o fim para que você tenha o direito de dizê-lo. Não adianta tentar intimidar alguém impondo algo, mostrando seu desprezo ou indignação com ironias ou grosserias, que isso não atribuem credibilidade a ninguém.

Uma reflexão sobre o assunto poderá aumentar consideravelmente as chances de sucesso.

 

Lembrando a todos que esta é só minha humilde opinião... 

Cara ou coroa?

Publicado em : 3/8/2016



 Nunca antes houve no município de Rio Verde de Mato Grosso uma indefinição tão grande quanto ao resultado da eleição para a prefeitura. Há que se analisarem as variáveis deste pleito para se chegar a denominadores que nada têm de comuns. Senão, vejamos.

 

O atual prefeito Mario Kruger se elegeu graças a uma conjunção de fatores políticos calcados na força de representantes do Partido dos Trabalhadores, como o Senador Delcídio do Amaral, os Deputados Federais Vander Loubet e Antonio Carlos Biffi, que aportaram recursos federais de valores históricos e inimagináveis na história do município. É claro que seu desempenho pessoal, alavancado por um talento nato para a política, contribuiu com o desfecho favorável.

 

Este último fator, desdobrado em ações pessoais de muito trabalho conquistaram o eleitorado da cidade das Sete Quedas sob inúmeros aspectos, cunharam uma identidade pessoal do mandatário, desvinculada de seus padrinhos políticos. Mario é um homem trabalhador, em sua gestão na prefeitura mostrou que sabe o que faz e não se envolveu em quaisquer escândalos capazes de manchar a sua administração.

 

Ocorre, porém, que seu principal padrinho político o ex-Senador Delcídio do Amaral, caiu em desgraça por uma série de erros e omissões que não convém, aqui, enumerar. Dele se pode dizer apenas que lamentavelmente maculou sua imagem e carreira talvez pela pior crise institucional da recente democracia brasileira e que inibe agora ações grandiosas, em torno das quais não é mais possível fazer as pirotecnias às quais os companheiros se acostumaram ao longo de uma década e meia de mandato na esfera federal.

 

Também foi o trabalho do incansável Biffi que com suas ações e recursos garantiram obras fundamentais, que garantiram a suada vitória do atual prefeito, e agora amarga o dilema de aparecer ou não ao lado do pupilo. Por isso o palpite é que ele terá uma participação discreta nesta campanha à reeleição.

 

Do outro lado do muro, o ex-prefeito José de Oliveira (PMDB), apesar de continuar com o mesmo “Modus Operandi”, de fazer política terá de convencer o eleitor de que, uma vez no cargo, será mais eficiente que o atual em equacionar os problemas da população sem o coronelismo que é sua marca pessoal.

 

José de Oliveira (PMDB), carrega agora o desgaste estar desatualizado com as novas regras de administração pública já que está há mais de uma década no sereno e de um partido cujos caciques figuram em denúncias de corrupção que ombreiam aos desmandos cometidos pelos companheiros petistas.

 

Será lembrado por ter se omitido estando sempre ao lado deles, logo ele, sempre tão severo com as falcatruas alheias! E historicamente sempre atrapalhando as administrações municipais em que não esteve à frente como as Wanderlan Marques Dorneles da Silveira, Grimaldo Pereira de Oliveira, Wiliam Douglas de Souza Brito e atualmente de Mario Alberto Kruger.

 

Em meio às desconfianças suscitadas de lado a lado por escândalos e falcatruas cometidas por terceiros sejam petistas ou peemedebistas o eleitor terá à disposição essas candidaturas em nível municipal que terão que explicar como estarão promovendo as mudanças e quebras dos paradigmas que alicerçam o atual sistema político do país e como se livrarão dos fatos desabonadores do alto comando partidário: De um lado, Marcus Viana, do PT do mensalão, do petrolão, da crise econômica, de Dilma, dos escândalos de Lula, Zé Dirceu, Vaccari Neto, Delúbio Soares e Companhia Ltda. Do outro, Eliane Sinhasique do partido de Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Romero Jucá, José Sarney, Michel Temer e associados.

 

Uma onda de revolta se levanta e movimenta o eleitorado e sob o auspício da nova regra eleitoral, o eleitor deverá definir qual agremiação apoiará para o comando do município de Rio Vede de Mato Grosso.

Periscópio...Nº 099

Publicado em : 8/6/2015



 Pele de cordeiro

Na disputa pelo poder em época de eleições o risco é a extinção das ovelhas, pois haja pele para cobrir tanta mazela eleitoreira e tanta hipocrisia, enfim tantos lobos…

 

(In) Gerência

Vários profissionais de saúde estão totalmente descontentes com o secretário municipal de Saúde de São Gabriel do Oeste, e as razões justificadas através de relatos e denúncias que chegam à redação do jornal requer imediata solução sob pena do comprometimento de toda a gestão.

 

(In) Gerência I

Tratamentos e vantagens diferenciadas a alguns servidores que são dispensados da jornada de trabalho para estudarem em Campo Grande ou para conciliar dupla jornada de trabalho, enquanto outros profissionais não têm diária e ainda tem seus horários descontados por conta de cursos de pós-graduação na área de atuação, estão gerando desconforto entre os profissionais e desgaste para a administração. 

 

Oposição em apuros...

A ação do vereador Juninho Gazineu e migrou para o PROS e agora integra a base de sustentação do prefeito Rolim, acendeu a luz vermelha do grupo oposicionista ao atual governo municipal de São Gabriel do Oeste. O trabalho agora é fazer com que não haja uma debandada do grupo do ex-prefeito Sergio Marcon.

 

Moeda de troca

Ouvi de gente antenadíssima, que o governo que tem apontado todos os dedos contra a corrupção, usa agora de prática reprovável para manter lideranças políticas no grupo estaria ofertando exclusividade na manutenção dos maquinários e veículos pesados do governo do estado na região.

 

Azedou

A relação entre a Câmara Legislativa de São Gabriel do Oeste e o atual governador está de mal a pior. Na última sessão plenária (02/06), os vereadores da base aliada usaram a tribuna para criticar duramente as ações do governo do estado e, principalmente, o governador Reinaldo Azambuja.

 

A que veio...

Segundo alguns vereadores já se passaram mais de cem dias de choradeira. Até agora ele não fez nada, só chorar, reclamar e colocar culpa no governo passado. O fundersul está sendo cobrada há cinco meses por este governo e não tem nem diesel para as máquinas? Indagou o vereador Juninho Gazineu do PROS




  • 1

Sobre o autor


Victor Currales
Jornalista, Cerimonialista, Assessor de Comunicação, pai, avô, esposo, corinthiano e muito feliz. Amo tudo o que tenho e faço.