17/06/2015 12h14 - Atualizado em 17/06/2015 12h14

Com lojas em Campo Grande, Havan nega que empresa seja do filho de Lula

Empresa tem 400 funcionários na capital de MS

  • Exemplo12

 A rede de lojas Havan, que tem duas lojas em Campo Grande e mantém 400 funcionários na Capital, foi às redes sociais desmentir os rumores de que a empresa seria, na verdade, do filho do ex-presidente Luiz Ignácio Lula da Silva (PT). A versão começou a ganhar força no Facebook e grupos de WhatsApp, mas é mentira, segundo a Havan.

 

Em uma postagem no Facebook, Zenildo Costa diz que a rede seria do filho de Lula, e teria sido comprada com dinheiro do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Imediatamente houve furor entre os internautas e muitos chegaram a dizer que deixariam de comprar na Havan por causa da suposta 'ligação petista'.

 

De acordo com a empresa, no entanto, não existe a menor possibilidade de que o filho de Lula ou da presidente Dilma Rousseff tenham qualquer ligação com a administração da Havan. A assessoria informa ainda que a rede, com lojas espalhadas em todo o Brasil, é de apenas um dono, Luciano Hang, que vive em Brusques (SC).

 

"A Havan não possui nenhum empréstimo com o banco e a insinuação de que a Havan seria do filho do ex-presidente é caluniosa, e sem qualquer fundamento", afirmam. Em contato com a assessoria de marketing da Havan foi informado que a empresa teria entrado em contato com a pessoa que teria publicado a informação e que um pedido de desculpas já havia sido feito.

 

 

 

 

 


Média: Com lojas em Campo Grande, Havan nega que empresa seja do filho de Lula     0,0 estrelas      
Vote nesta matéria


Leia mais notícias de Campo Grande

0 Comentários