19/01/2017 08h26 - Atualizado em 19/01/2017 08h26

Artistas coxinenses participam de filme sobre o Pantanal

Cineasta lança longa com destaque nas 11 sub-regiões do Pantanal 136 Views Comentar RD News

Camila Cervantes

Imagens: Reprodução

Gravação com os músicos Adão Reis e Kurikaka na Chalana no Rio Taquari

O cineasta carioca Marcelo de Paula pretende lançar o longa-metragem Pantanais do Pantanal, em meados de março. Com cerca de 90 minutos de duração, a produção se baseou nas belezas naturais, animais, costumes e tradições pantaneiras e, principalmente, na questão de divisão de pantanais, o que, segundo ele, é pouco difundido fora desse bioma composto por vários ecossistemas.

Após percorrer 10 mil km rodados em dois meses de gravação, o filme abordará as 11 sub-regiões do Pantanal de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Marcelo e a equipe visitaram 13 municípios selecionados como sets de filmagens, sendo Cáceres, Poconé, Barão de Melgaço e Santos Antonio do Leverger, em Mato Grosso, e Porto Murtinho, Aquidauana, Rio Verde, Sonora, Coxim, Miranda, Bodoquena e Corumbá, em Mato Grosso do Sul.

Além dos municípios citados, a expedição ainda rodou nas empoeiradas Transpantaneira (MT); Estrada Parque Pantanal; Estrada Parque da Piraputanga e a MS-228, mais conhecida como Estrada do Corixão. Sem contar as inúmeras vias de acesso às fazendas que apoiaram o projeto: Pouso Alegre Lodge; Jaguar Ecological Reserve; Haras Bafo da Onça da  Araras Pantanal Eco Lodge (MT) e Fazenda Igrejinha; 23 de Março; Fazenda Pouso Alto – Pousada Mangabal; Passo do Lontra Parque Hotel; Fazenda São João; Fazenda Vitrine; Fazenda São José – Pousada Aguapé e Fazenda Baía Grande (MS).

“Sempre ouvi falar das 11 sub-regiões do Pantanal e conversava com pessoas aqui no Rio e em outros lugares do Brasil, que não faziam ideia disso! Achei o tema digno de um filme e também uma ponte para dar seguimento ao nosso segundo longa-metragem sobre a região”, explica a reportagem.

Para as filmagens, a produção percorreu os diversificados cenários por meio de voadeiras, chalana, balsa de carro e Barco Hotel Jaguar do Pantanal, em inúmeros rios que compõem a região: Paraguai, Miranda, Taquari, Negro, Aquidauana, Abobral, Jauru, Feioso, Piquiri, Correntes, 3 Irmãos, Rio Verde,  Salobra, Rio Vermelho, e Cuiabá. Também incluíram no banco de imagens cenas aéreas produzidas por voo de avião bimotor e drones, bem como imagens subaquáticas.

Além disso, foram registrados mais de 25 depoimentos para o filme com temas que abrangem o roteiro do mesmo: cavalos pantaneiros, pesca, gado Caracu e Nelore, Guerra do Paraguai, ecoturismo, pesca profissional, Estação Ecológica Taiamã, chapéu Carandá, Sela Mili8, construção da Transpantaneira, ocupação humana no Pantanal, e confecção de artesanato de couro de peixe. A trilha sonora do filme está sendo composta pelo grupo Acaba e músicos de Coxim, Adão Reis e Kurikaka.

Filmes

O primeiro filme intitulado Karajá foi produzido na região do Karajá, no Pantanal e na Ilha do Bananal em Tocantins, onde está localizada a Reserva Indígena Karajá. Segundo Marcelo, ele refez uma expedição que realizou sozinho no Pantanal, como fotógrafo, na qual terminou morando com os índios Karajás por seis meses. O cineasta fez a expedição solitária, em 1991, e gravou o documentário em 2006.

Já o segundo filme específico sobre o Pantanal chama-se Pantanal no Ar, numa referência a estar no Ar de TV. Nesse documentário a produção contou a história de formação do Pantanal da Pangeia até a atualidade. Agora, Marcelo ressalta que há dois anos estuda o tema para fazer o roteiro do filme que será lançado em breve.

 

Curiosidade

A expedição para produção do Pantanais do Pantanal ainda teve a participação de Morgana Mendes Paula Carneiro, de apenas 8 anos. Ela é filha de Marcelo com a esposa e sócia Carla Mendes (produtora e editora). Conforme o cineasta, Morgana foi a primeira criança a pisar na Estação Ecológica Taiamã e fez história por onde passou.

“Acompanhou todas as etapas de gravação, estando frente a frente com várias onças, jacarés, queixadas e demais animais da fauna do Pantanal”, ressalta. O pai “babão” também destaca que a pequena experimentou várias iguarias da culinária pantaneira, tais como caldo de piranha, sopa paraguaia, arroz carreteiro, saltenha, e carne de jacaré, por exemplo.

Perfil

Há mais de 28 anos iniciou suas atividades profissionais como fotógrafo free lance. Foi editor da TV Globo, redator do O Globo e assessor de imprensa dos Governos dos Estados Rio de Janeiro (área da Justiça) e Paraná (Jogos Mundiais da Natureza). Participou de grandes expedições esportivas e científicas em diversos parques nacionais brasileiros e regiões remotas do país e do mundo.

Trabalhou para produtoras nacionais e internacionais antes de abrir a Código Solar Produções em parceria com a produtora Carla Mendes. Entre curtas, médias e longa-metragem assina a direção, fotografia e roteiro em mais de 10 filmes. Obras selecionadas para participação oficial em festivais de cinema, exibidas em TVs e cines de várias regiões do Brasil. 


Média: Artistas coxinenses participam de filme sobre o Pantanal     5,0 estrelas      
Vote nesta matéria


Leia mais notícias de Coxim

0 Comentários