15/04/2011 20h20

Telefônica prevê demitir 6 mil na Espanha em três anos

Ambiente econômico difícil afetou resultados, diz empresa. Companhia também prevê se desfazer de ativos não estratégicos.

O gigante espanhol das telecomunicações Telefônica anunciou nesta quinta-feira (14) que prevê demitir cerca de 20% de seus funcionários na Espanha em três anos, o que supõe 6.000 empregados, na apresentação de sua estratégia aos investidores.

O grupo explicou que se viu afetado em seus resultados na Espanha por um ambiente econômico difícil devido à crise e à redução de sua cifra de negócios em torno de 5% anual nos dois últimos anos.

A redução de postos de trabalho permitirá ganhar em flexibilidade, explicou o presidente da Telefônica Espanha, Guillermo Ansaldo, durante uma apresentação realizada Londres.

Esta medida será acompanhada de uma redução de 6% dos membros da direção da divisão espanhola da companhia (já em curso) e esforços para aumentar a produtividade dos funcionários.

A empresa também prevê desfazer-se, durante o período 2011-2013, de ativos não estratégicos, em particular no âmbito imobiliário, num total de 600 milhões de euros.

A Telefônica registrou um aumento de 30,8% no lucro líquido em 2010, e atingiu "uma cifra recorde de 10,167 bilhões de euros", anunciou a companhia em fevereiro passado, impulsionada especialmente por seus negócios na América Latina, apesar de a Espanha ter sido a outra face da moeda.

Os rendimentos na Espanha se situaram nos 18,711 bilhões de euros, o que representa uma queda interanual de 5%.

'Não é um bom momento'
Depois de conhecer o anúncio da Telefônica, o ministro do Trabalho espanhol, Valeriano Gómez, mostrou-se reticente quanto a este eventual corte, assegurando que não é um bom momento para ajustes de planilha de ordem tão importante quando a taxa de desemprego espanhola é de mais de 20%.

"Sabemos que nossas companhias internacionais competem em mercados difíceis e têm exigências neste sentido", ressaltou, no entanto, o ministro.


Média: Telefônica prevê demitir 6 mil na Espanha em três anos     0,0 estrelas      
Vote nesta matéria


Leia mais notícias de Mundo

0 Comentários