22/10/2017 16h58 - Atualizado em 23/10/2017 16h58

Máster de Rio Verde vence amistoso contra Bombeiros de Campo Grande

Victor Currales

Imagens: Ivan Flores

Mais uma vez o CRF – Clube Recreativo da Figueira, foi palco do tradicional amistoso que o Máster de Rio Verde faz entre veteranos do município e cidades vizinhas.

 

A paixão pelo esporte, a amizade e a satisfação de rever os antigos companheiros de pelada ou de jogos fazem da equipe dos Máster de Rio Verde comandada a mão de ferro pelo ex-jogador profissional Chita, uma família e toda semana treinam pelo menos três vezes no campo da Figueira.

No último sábado (21) o jogo foi contra o time de Bombeiros de Campo Grande-MS, liderados pelo Capitão Bombeiro Sergio Roberto (Serginho), atleta que iniciou seus primeiros passos no futebol no município e contou também com personagens que marcaram a história do futebol rio-verdense e entraram em campo para compartilhar a paixão pelo futebol apesar de todas as dificuldades de peso e algumas deficiências em virtude da idade, porém a rivalidade em campo sempre é muito grande.

 

Foram duas partidas: Uma com atletas até 40 anos e a outra com atletas com mais de 50 anos. O resultado  f oi  duas vitórias para o time comandado pelo técnico Chita, 3x1 no jogo dos cinquentões e 4x1 no jogo dos quarentões.

 

Com um futebol ainda refinado e um pouco mais lento, os atletas quarentões e cinquentões ainda desfilam talento mesmo não tendo mais aquele vigor físico de outrora, mas em compensação tem a qualidade técnica na maneira de tocar e de se movimentar em campo.

Nomes como Paraná, Luizinho, Baianinho, Wiliam Brito, Chicão, Victor Currales e outros mais novos como Neizinho, Ivan, André, Julio Pires, Valdinar, os irmãos Martins Denilson, Marquinhos e Lucas, podem ser vistos ainda em campo com desenvoltura e lembrando o porquê seus nomes são sempre lembrados nas histórias do futebol dentro e fora do município.

O hoje aposentado Capitão Bombeiro Serginho como é conhecido na cidade, disse estar muito feliz com o reencontro de amigos num local que frequentou muito no início de sua carreira como funcionário da Cerâmica Figueira, local dos jogos jogando e que mantém muita ligação de amizades na cidade.

“Espero poder estar voltando aqui mais vezes reeditar este encontro que se tornou uma grande festa, vou voltar agora com uma equipe mais competitiva para ganhar já que hoje perdemos as duas partidas e voltar ver os amigos é um sentimento de felicidade para mim”, afirmou com muita descontração o Capitão Serginho.

 

Outro nome que também brilhou nas décadas passadas foi Romeu Borges, sempre cortejado pelos torcedores e amantes do bom futebol. “É uma festa linda, é um reencontro foi muito legal.

“Faço questão de estar sempre aqui e ter essa oportunidade é uma grande satisfação. Sempre que joguei aqui fui bem recebido, e voltar, rever os amigos é tudo de bom”, apontou Romeu.

 

Os Máster

 

Acompanhando o futebol há muitos anos dentro e fora dos gramados o técnico Chita ao ser entrevistado pela nossa reportagem disse que não tinha medo da equipe adversário apesar da fama de Papa Tudo na Capital, conheço bem minha equipe e sei o que cobro e como cobrar para tirar deles o máximo em campo, o time correspondeu a nossa expectativa e vamos continuar a manter viva essa chama do esporte que une gerações.

 

Já são cerca de 20 anos toda sexta-feira ou no sábado é lei. Após uma disputada partida amistosa, é hora de sentar, tomar uma cervejinha e botar o assunto em dia ou comemorar o aniversário de um dos participantes. Mais do que um encontro de amigos, um encontro de uma família, a Família Máster, são décadas de uma história de amizades e companheirismo.

 

A equipe vai se renovando a cada ano, alguns jogadores do antigo foram parando por várias circunstâncias e outros novos membros se juntaram. Chita, Paraná, Colilia, Victor, Luizinho, Levi, Annes, Júlio Pires, Toninho da Gráfica são os mais antigos os principais fundadores que deram vida ao grupo.

 

Desde sempre, a proposta da equipe é reunir jogadores veteranos fortalecendo amizades através dos jogos, dos churrascos e da grande conversa (resenha) que se forma após os treinos ou jogos da equipe.

 

Futebol, amizade, confraternização e respeito são valores adotado pela equipe e já rompeu os campos de Rio Verde e hoje várias cidades solicitam amistosos com a equipe que só atende caso possa fazer os jogos com suas duas equipes de 40 e 50.

 

Parabéns aos integrantes do Máster de Rio Verde que tem uma parceria com a Cerâmica Figueira que cede as dependências do seu Clube Recreativo para os Máster e os agradecimentos da equipe vai para seus diretores Mauro e Réus Fornari. Que o futebol e o bate-papo sobrevivam por longas décadas e a que o Máster do nome da equipe possa de fato continuar dando exemplos e jamais perca essa essência.


Média: Máster de Rio Verde vence amistoso contra Bombeiros de Campo Grande     5,0 estrelas      
Vote nesta matéria


Leia mais notícias de Rio Verde de Mato Grosso

0 Comentários