Invenção brasileira completa 29 anos com a missão de salvar vidas no trânsito

Em 20 de agosto de 1992 foi implantada a primeira Lombada Eletrônica do mundo na cidade de Curitiba (PR)

| VICTOR CURRALES


O dispositivo ajuda a controlar vários ítens da mobilidade urbana - Foto: Ilustração

No Brasil, o desenvolvimento e a operação de equipamentos de fiscalização eletrônica teve início há 29 anos com a invenção da lombada eletrônica pela Perkons. O equipamento surgiu a partir de uma história curiosa. No início dos anos 90, engenheiros da empresa paranaense sofreram um incidente ao passar por uma lombada física e começaram a pensar em uma forma mais eficiente e menos abrupta de se reduzir a velocidade. Até então, não existia no mundo qualquer equipamento similar.

Esse foi o marco para, depois de muito estudo, trabalho e persistência, em 20 de agosto de 1.992 ser instalado o primeiro modelo da solução em uma das vias mais movimentadas de Curitiba (PR).

De tão inovadora, a Lombada Eletrônica foi incluída no livro 101 Inovações Brasileiras. Adotada hoje em larga escala – e extrapolando as fronteiras brasileiras -, a lombada eletrônica e outros equipamentos de controle de velocidade, criados após a sua invenção, já salvaram muitas vidas. Atualmente a Perkons está presente em 490 municípios e 25 estados brasileiros. “Os dados gerados por equipamentos que a Perkons tem instalados em todo o país apontam que 99,93% dos motoristas respeitam a velocidade nos pontos fiscalizados, o que demostra efetividade no controle de velocidade e, consequentemente, maior qualidade e vida nas ruas e vias”, comenta Luiz Gustavo Campos, diretor da empresa e especialista em trânsito.

Mas, para aqueles que não respeitam a velocidade permitida, a fiscalização eletrônica é uma forma de inibir e de educar. “Em 2020 nossos equipamentos monitoraram mais de 4 bilhões e 600 milhões de veículos, contribuindo para a segurança no trânsito e redução dos acidentes. Em quase 30 anos de atuação, estimamos que nossos equipamentos salvaram cerca de 84 mil vidas”, completa Campos.

A lombada eletrônica não só mede a velocidade, mas também permite o controle do fluxo veicular na via, facilitando a contagem do número de veículos que nela transitam, o que auxilia no planejamento da mobilidade urbana. Além disso, atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro prevê a fiscalização eletrônica como a regra.

Curiosidade: como funciona a lombada eletrônica

As lombadas eletrônicas identificam a velocidade através de laços indutivos instalados na pista, que são acionados pela presença do veículo. Então, um microprocessador recebe os sinais elétricos, calcula a velocidade com alta precisão e a indica no display. A lombada é um equipamento chamado ostensivo, que conta com um conjunto de sinais luminosos, além do display, para informar aos condutores e pedestres a condição de tráfego do veículo. Ideal para áreas com grande circulação de pedestres e ciclistas, o propósito da lombada é informar ao condutor a sua velocidade e, assim, torná-lo mais consciente acerca da maneira como está trafegando. As lombadas podem capturar vários tipos de infração como transitar com veículo em situação irregular e em horário e local não permitido (rodízio e restrição de caminhões) e contramão de direção, entre outros.

Primeira lombada eletrônica do país sendo instalada em Curitiba-PR - Foto: Reprodução

Apoie o jornalismo independente.

É fundamental para São Gabriel do Oeste, para a região e todo o Mato Grosso do Sul.

Assine o Gabrielense e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Você irá receber também o nosso exemplar impresso com todas as notícias da cidade.

Um grande time de jornalistas, dando voz a sociedade em reportagens e vídeos com matérias de conteúdo próprio.

Entre em contado conosco e escolha o melhor pacote para você e sua empresa.

E-mail: victorcurrales@gmail.com

Telefone: (67) 9.9887-3066